Largo São José do Belém

Subprefeitura da Mooca assina convênio para revitalização do Largo São José do Belém

O local sofre com a deterioração há seis anos, as obras de melhorias Processo começarão com a instalação de uma escultura de bronze. Intervenções levarão em conta características do passado Um século após sua fundação, o Largo São José do Belém continua sendo uma referência na região, mas há seis anos sofre um processo de deterioração. Pensando nisso, a Subprefeitura da Mooca assinou nessa terça-feira (30/11), com a Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (OSCIP) Museu a Céu Aberto, um convênio para revitalizar o Largo, que poderá devolver à cidade um dos marcos de sua história e do início da industrialização no país. Segundo o diretor da OSCIP, Sr. Luis César Corazza, “o projeto realizou, previamente, uma ampla pesquisa iconográfica e histórica, inclusive registrando a memória oral de moradores antigos do bairro que contribuíram com suas experiências e estudos. Isso porque pretende-se uma intervenção não somente arquitetônica, mas que possua componentes culturais e que observe as características do passado, para que a população volte a freqüentar o local contemplativamente.” O Museu a Céu Aberto Cultura, Ecologia e Desenvolvimento tem experiências bem sucedidas no que diz respeito ao restauro de obras e monumentos importantes para São Paulo. Somente em 2004, a OSCIP concluiu a recuperação de seis retábulos do Museu de Arte Sacra e do conjunto de fontes e chafarizes bem como dos elementos decorativos do Espelho D’Água do Parque da Independência, onde está localizado o Museu Paulista, mais conhecido como Museu do Ipiranga. Para o Largo São José do Belém está prevista a instalação de uma escultura de bronze com aproximadamente três metros de altura, a ser confeccionada pelo artista plástico Caciporé Torres. Ela será instalada na frente da Praça e será o ponto de partida para a revitalização de todo o Largo, que ainda receberá novo paisagismo, mudança de mobiliário e iluminação, entre outras benfeitorias. Uma das reivindicações da população e dos próprios membros da igreja é a implantação da Rua da Noiva, pois com as sucessivas mudanças não mais existe espaço reservado para a entrada e estacionamento dos jovens que escolhem a paróquia para casar. O subprefeito da Mooca está animado com a parceria. Ele afirmou que “o papel do poder público é também o de aglutinar a comunidade e investidores para melhorar o bem comum. Queremos que o Largo possa ser freqüentado pela população e utilizado adequadamente. É um direito do cidadão usufruir da cidade, de seus espaços. É obrigação da prefeitura procurar viabilizar projetos que melhorem as condições físicas da cidade, promova seu resgate histórico, artístico, cultural e, principalmente, a qualidade de vida das pessoas”.


Fonte : www.estadao.com.br  

 
GUIA COMERCIAL